quinta-feira, 15 de novembro de 2007

 

Agora que o frio já se vai fazendo sentir (apesar de Novembro já ir a meio), tudo já começa a cheirar a Natal.

Na verdade talvez não cheire, mas eu quero que cheire, quero sentir o seu odor e confortar-me com ele. Tenho saudades do Natal, constantemente. No Dia dos Reis, largo sempre uma lágrima, porque o Natal acabou e nesse mesmo dia, as minhas entranhas sentem logo os sinais de uma nostalgia que me invade automaticamente.

A bem dizer, eu sinto mais do que saudades do Natal, eu sinto falta do que o Natal me recorda e faz sentir, porque o Natal para mim é como África, como a minha Angola e eu sinto saudades delas também.

Sei que parece contrasenso, que o Natal é frio e neve, bonecos brancos com nariz de cenoura, cachecóis, gorros e meias de lã, e o consumismo absurdo, tão comum por terras ocidentais. Mas para mim, o Natal é calor, o calor dos chás aromáticos com especiarias do Norte d'África e Oriente, o calor das lareiras, cujas cor das chamas recordam o pôr-do-sol de paragens mais a Sul, é o calor do encarnado por todo o lado, que recorda a cor da terra fértil d'Angola, é o calor do convívio entre famílias e amigos que eu recordo dos tempos de Luanda, é o calor de todos sentados à mesa, apreciando iguarias que demoraram horas a preparar, é o calor da música festiva que nos aquece o coração.

Já repararam que é quase impossível lembrar África, sem associar música ao pensamento? É como o Natal! Natal sem Jingles, Bing Crosby, Louis Armstrong, Aretha Franklin, Frank Sinatra, nem as portuguesas Janeiras, não é Natal! Tirando o Carnaval, onde a ideia do calor do samba nos faz mover os pés, lembram-se de outra comemoração que associem à música? Eu não!

Sei que ainda faltam mais do que 30 dias para..., mas eu já vou sentindo falta do Natal.

Categories: , ,

7 Ideia(s):

Virtual Chef disse...

Minha Amiga, seja muito bem aparecida pelo meu blog! Olha que isto da máquina de pão é fantástico mas requer algum espírito de sacrifício, isto é, quando um pão não resulta, temos de resistir ao impulso de ir ao hiper comprar aquele de que gostamos mesmo. Por isso é que muito raramente (mas é mesmo, mesmo muito raro) repito um pão. Para além das centenas de receitas (em sites americanos, está claro) o limite é a nossa imaginação. Por estes dias ando muito tentado em fazer um pão com nestum de figo. Original não...?
Fazes bem em ter um blog, como escreves muito bem, acho que devias partilhar esse teu dom (eu como escrevo muito mal, tenho um blog de culinária, he he he!). Isto pode ser giro e até terapeutico, antes de se tornar numa escravatura. Por um lado queres ter muitas visitas, por outro começas a não ter tempo para atender tanta gente, de ir ler também o blogues deles etc. Para mim o mais importante é que se veja o blog como um caderno de apontamentos, em que se muitos lerem não faz mal, se não aparecer ninguém, afinal é só o nosso caderno de apontamentos. Boa sorte e vou voltando, quanto mais não seja para sentir esta brisa de África...
Beijos

Iris R. Costa Barroso disse...

Obrigada, por seres o querido de sempre e por visitares o meu blog. Adoro-te, apesar de tudo e mais alguma coisa. Sabes disso, não sabes?

David Santos disse...

Cara Deusa,
"Agora que o frio já de vai fazendo sentir..." Que frio? Estamos a falar de quê?
Sim, já cheira a Natal, infelizmente já. Digo infelizmente porque não gosto do Natal. Quero dizer, gosto, mas não gosto. Gosto do que o Natal representa, na sua essência, na sua capacidade de mobilização e esperança. Não gosto da secularização e apelo ao consumo que tem crescido ao longo dos tempos em deterimento do seu real significado, e é esse cheiro que já se sente. Não deixo cair nenhuma lágrima no dia de reis, mas aproveito para comer a última fatia de bolo rei. Ainda faltam mais de 30 dias para o Natal, e não tenho pressa em que passem.

Contrariamente ao Natal, adoro gatos! Já tive alguns. Não sei se, e embora se costume dizer, a curiosodade alguma vez matou um gato! É sabido que os gatos têm nove vidas, pelo que talvez seja mais correcto dizer: a curiosidade consumiu uma vida ao gato. E neste episódio certamente consumiu uma, menina abelhuda. É também do conhecimento geral, que os gatos quando caem, caem em pé, e as torradas quando caem ao chão, caem com o lado da manteiga e/ou doce virado para baixo. Que acontecerá se colocarmos uma torrada nas costas de um gato com a face da manteiga ou doce para cima, e atirarmos o gato ao chão?

No meu rol de amigos/pessoas conhecidas, não existem muitos (se é que existem) cujas raizes sejam africanas. Eu próprio nunca senti grande fascínio por essas paragens, embora tenha estado uma vez em Ceuta. Espera, mas isso ainda é Espanha, certo? É um bocado como atravessar o Tejo, fica do outro lado. Por isso não deve contar. Ok, confesso que nos meus destinos de férias estão as Seycheles e a Túnisia, mas as Seycheles são Africa?
Já ouvi falar de pessoas, cujas raizes africanas nunca desaparecem, que não conseguem "viver" fora de África, mais tarde ou mais cedo regressam e são então felizes. Só alguém com este sentimento, com estas raizes, com esta adoração conseguem falar de África (e das suas coias) em dois textos com assuntos diferentes. Pois segue o meu conselho, vai ou regressa para África, e leva-me contigo. Quero descobrir esse mundo. Sabes, faltam 30 dias...

Iris R. Costa Barroso disse...

Obrigada,

A experiência com o gato parece-me divertida, hei-de experimentar um dia, quanto a África...o tempo o dirá!

Anónimo disse...

Linda, adorada sobrinha...
Quanto ao primeiro texto so tenho a dizer que eu, conhecendo-te bem ao lêr vi logo a tua imagem... Sabes pôrquê????
Porque desde pequena ( mas pequena mesmo. tenra idade)sempre foste como o tal universitario( ou não) o diz e muito bem ABELHUDA, ou seja sempre muito atenta ao que se passa á tua
volta. Naquela idade em que qualquer criança so pensa em brincar, jã tu eras muito abelhuda.
ABELHUDA porque não te escapava uma conversa, principalmente se fosse de adultos, lã tavas tu com o o dedo no olho que era sinal que tavas atenta e a ser ABELHUDA.
Beijos querida e continua a ser o que és a melhor pessoa do mundo e com um coração enorme. Amo-te lol,lol

Natal para mim é um dos melhores acontecimentos do ano.
Sempre o adorei e adoro a maneira como a nossa familia o comemora, as crianças cantam ou tocam, enfim é uma reunião que enche o meu coração e passo o ano á espera deste dia.
Já agora tenho que ser verdadeira e dizer que adoro receber prendas, sou uma eterna criança, n achas ????? Já compras-te a minha prenda ??? lol
O teu texto esta maravilhoso , mas isso ja eu sabia antes de ler, porque tu tens o dom da escrita( coisa que eu não tenho)
Mil beijos e ate ao Natal

Carla Ramos

Iris R. Costa Barroso disse...

Com que então sou abelhuda hein?!

Não sei se volto a deixar passar comentários de família... parece que foram feitos por encomenda... Adoro-te.

Quanto à prenda... o Pai Natal só vem a 24 de Dezembro e depois da meia-noite...

Mara disse...

O Natal... Faz-me lembrar automáticamente em: casa da tia Augusta!! :P

Lembru m de quando era pequenina, dos penteados lindos que me fazias, das roupas iguais às tuas :P ... dos lacinhos na mesa que tu fazias e eu desmanchava... da tia vestida de Pai Natal, mais tarde o Nilton, quando a menina Iara muito impressionada nos disse: "o pai natal tem uns sapatos iguais aos do meu pai!!"
Da comidinha da titia... nham nham!!

Só boas recordações... espero k este ano seja um Natal lindo... com todos juntos...

Adoro-te minha ganda maluca!!!


Beijinho!!!!*******


sem abreviaturas... viste viste?!

Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!