segunda-feira, 31 de março de 2008

Nos últimos tempos tenho visto em tudo quanto é lado o apelo ao medo. Os jornais atiram com notícias sensacionalistas de pavor e pânico nas ruas, fazendo crer que basta colocar o pé fora de casa para sermos assaltados, ou vítimas de um novo desporto radical a que teimam chamar "carjacking".
As pessoas andam na rua cheias de medo, telefonam umas às outras a dizerem: "Tem cuidado, não saias à noite, nunca sozinha!", etc... etc... e tal. Ensinam aos filhos a disciplina do medo e transmitem os seus próprios receios aos outros. OK. É verdade que as coisas estão a caminhar para algo mais estranho, mais complicado, mas não devemos ser nós, a ter medo. Quem deve ter medo, são os próprios assaltantes, ladrões, gatunos. Eles é que devem de ter medo das repercussões dos seus actos. Nós não temos que alterar o nosso estilo de vida, apenas para que eles se sintam menos tentados. Agora ter medo?! Ter medo de viver, de sair, de caminhar, de contemplar a lua?! Talvez tenha mais um pouco do que tinha antes, é verdade. Sempre aprendi que os verdadeiros heróis não são os que não têm medo, mas sim aqueles que o superam. O medo é essencial para nos manter atentos, para introduzir no nosso corpo a dose certa de adrenalina que nos faz superar os obstáculos. O importante é dar-lhe apenas o lugar que ele merece: Despertador de coragem. E eu quero ter coragem de viver e de não me deixar encarcerar pelos bandidos.
Categories: , ,

3 Ideia(s):

tragofadonossentidos disse...

Já dizia a minha avó, q coitadinha já morreu, q quem tem derriére (ela n dizia, exactamente, derriére, m eu sou uma pessoa bem educada e...) tem medo e é bem verdade. Mas tb é verdade q comparando em termos internacionais vivemos num paraíso e q n podemos permitir q este tipo de situações controlem a nossa vida.

Só nos acontece o q tem q acontecer (seja de bom, ou de mau) e tem sempre um objectivo: O de nos fazer aprender algo q nós precisávamos p melhorar.

Contudo, c os pendentes boicotes aos JO de Pequim, n me admirava nada q elevassem o carjacking à categoria de desporto olímpico.

Iris R. Costa Barroso disse...

É que o nome sugere um daqueles despotors género Rafting, skating, hiking, carjaking,Tricking, Snorkeling, Bungee jumping, Sky diving.

Vês, nem se dá por ele na lista.

Vai na volta... ainda criam escolas de sucesso, onde os telemóveis serão permitidos, sobretudo se forem dos donos do carro, aonde se irá proceder a restante aula, aonde darão disciplinas como:

Código da estrada - Conhece o inimigo para o poderes vencer.

Condução Evasiva - Curso adiantado

A biologia do corpo humano e as suas reacções a extremas velocidades.

Comunicação Oral - Como intimidar de forma eficaz o dono do carro.

Mecânica - Curso avançado em Engenharia

Tiro - Como não te atingires a ti mesmo. (esta cadeira pode ser substituída por um relatório de 100 páginas sobre a Televisão, a sua programação e a acção na sociedade.

Ginástica - Mente sã em corpo são.

Ioga - mantém a calama enquanto tiras a dos outros.

Que te parece?

tragofadonossentidos disse...

Excelente oportunidade de negócio. Como não pensámos nisso antes.

Uma escola dessas ia ser um verdadeiro sucesso.

Uma outra opurtunidade é fazer uma empresa de eventos especializada em eventos desportivos. Sempre podíoamos fazer um evento de carjacking no Pav. Atlântico, assim uma coisa do tipo do Wrestling.

Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!