segunda-feira, 10 de março de 2008

...há alguns dias a questionar-me porque não conseguia definir o homem que procuro e hoje dei por mim a perguntar como posso eu descrever-me e por incrível que pareça, apenas as coisas negativas, ou com as quais eu não estou contente, surgiram automaticamente, nos meus pensamentos, como se fosse um casamento que não deu certo, os empregos e oportunidades que deixei escapar o mau humor, quando não durmo o que devia, o não ter nenhum relacionamento amoroso, digno desse nome desde o meu divórcio; ou o meu corpo, as características que realmente me definem. Li uma vez que quando andamos assim perdidos na nossa identidade não devemos insistir.

O melhor é mesmo, afastarmo-nos das questões complicadas e começar por um exercício simples: realizar uma lista de tudo aquilo que gostamos.

É inacreditável como depressa nos apercebemos da pessoa que somos quando vemos uma lista daquilo que gostamos, em vez daquilo que nos irrita.

A lista que saíu foi esta:

Gosto de escrever, é o meu refúgio, a minha forma de expressão; gosto de café; gosto de limão; gosto de tartes; gosto de filmes, de cinema; gosto de teatro; gosto tanto de ler, que sou incapaz de dizer que livro gostei mais; gosto de viajar, nem que seja na minha mente; gosto de estar em casa, de voltar para casa; gosto de companhia; gosto da solidão e do silêncio; gosto de Arquitectura e de História; gosto de rir de mim própria e com os outros; gosto de elogios, apesar de não saber o que fazer com eles; gosto de África e das suas terras encarnadas; gosto do cheiro que a chuva deixa no ar e do cheiro de livros antigos; gosto de andar a pé; gosto de chorar, liberta; gosto de crianças, das minhas e dos outros; gosto de Samba, Bossa Nova, Jazz e de Fado, gosto dos meus amigos e de estar com eles; gosto de comprar para os outros, mais do que para mim; gosto do Natal; gosto das desculpas para ter todos os amigos e famílias reunidos, nem que para isso tenha que inventar pretextos; gosto de rotinas, só assim posso ter o prazer de as quebrar; gosto de festas de gala; gosto de qualquer festa; gosto de telefonemas de família; gosto das discussões da minha família (admitam: ninguém tem razão); gosto de saltos altos; gosto da liberdades dos rasos; gosto de desportos radicais; gosto de adrenalina; gosto da minha família; gosto dos familiares que ficaram para trás (nunca os deixei de amar); gosto de trabalhar; gosto de organizar; gosto de stress q.b.; gosto de dançar; gosto de cães, gatos e cavalos; gosto de corpos masculinos em forma; gosto de um corpo quente junto meu ao deitar; gosto de perfumes de homem; gosto de beijos e de ser acordada com eles, ou de acordar alguém com; gosto de vinho e boa comida; gosto de cozinhar; gosto de receber os meus amigos e família em casa; gosto das manhãs; gosto das tardes; gosto das noites; gosto do calor, do sol e do mar; gosto do campo; gosto de amar; de perdoar; gosto de sentir; gosto muito de viver.

Agora tirem as vossas conclusões. Tenho a certeza que algumas serão de chorar a rir...


Categories:

8 Ideia(s):

David Santos disse...

"...o não ter nenhum relacionamento amoroso, digno desse nome...", só porque não o quizeste. Liberta-te dos fantasmas do passado e olha para o futuro, deixa-te de ficar agarrada a memórias.

Podes começar por actualizar o teu apelido

Iris R. Costa Barroso disse...

Talvez... mas ainda assim, também não é um nome que me define e ainda bem!

Mara disse...

Quando li aquela lista pensei: Uau! Só podia ter sido a minha prima a escrever isto! Inconfundível =) ... És uma pessoa única, até na maneira de escrever.
Quanto aos relacionamentos, pretendentes não hão de faltar, mas algum à tua altura é mais difícil =P


Adoro-te****


Mara

David Santos disse...

Sempre era um principio e depois poderias ir fechando as coisas que ainda estão em aberto

tragofadonossentidos disse...

Se em comentário ao teu post fosse desfiar um desfiar semelhante ao teu, provavelmente sairia algo demasiado gráfico para que pudesse ser publicado.

De modo que me limitarei a dizer que partilho de alguns dos teus gostos e que não me parece que o teu problema seja estares agarrada a fantasmas do passado, mas sim estares muito mal habituada no que se refere a homens.

É o mesmo que dizer que quando nos habituamos a mexer o chá com colher de prata, muito dificilmente nos contentaremos a mexê-lo com o dedo.

Bjs,
Nuno

Iris R. Costa Barroso disse...

E eu a pensar que todos iriam colocar aqui, listas do que mais gostam...

Obrigada pelos elogios, mas não sei o que fazer com eles...

Jo disse...

A menina quer listas, né? Pois então aqui segue a minha:

Gosto de chocolate, gosto de ouvir música, gosto de saltos altos, gosto que gostem de mim, gosto de gostar dos outros, gosto de mimos, gosto de histórias, de enredos, de filmes e cinema, gosto de roupa, especialmente top's, t-shirts e calças de ganga, gosto de ténis, de havianas, gosto de me lembrar dos outros, gosto que se lembrem de mim, gosto de televisão, gosto do gosto da boca de alguém especial, gosto de beijar e ser beijada, gosto de esperança, gosto de apoio, conforto, gosto de me sentir segura, gosto de anéis, gosto de ver os "Friends" e o "Dr.House", gosto de ti, Iris Maria :P, gosto de tanta coisa que não sei como acabar esta lista de gostar....


Bju Grande

Iris R. Costa Barroso disse...

Obrigada Jo,

Era este o objectivo da mensagem, a tua lista és mesmo tu.

Também te adoro.

Subscribe to RSS Feed Follow me on Twitter!